Drika Chagas: artista visual belenense em residência artística em Paris - Aliança Francesa de Belém

Drika Chagas: artista visual belenense em residência artística em Paris

Muitas pessoas sonham com a oportunidade de desenvolver o seu projeto artístico num outro paìs, outro ambiente. A artista visual e paraense Adriana Chagas (Drika Chagas), com apoio e orientação da Aliança Francesa de Belém e da embaixada da França realizou esse sonho e agora faz residência artística em Paris.

Uma imersão em um novo contexto pode ser um passo importante na vida de qualquer estudante ou curioso e exige escolhas e planejamento prévio. Além de pensar no destino, no curso, no período, é preciso definir bem os objetivos da viagem, levando em consideração o que se adapta melhor ao estilo de vida do viajante e às suas pretensões profissionais e/ou pessoais. 

No caso da Drika Chagas, que gosta de deixar traços e cores nas ruas ou em lugares abandonados, Paris foi a melhor opção, especialmente pela cidade ser cheia de referências artísticas e culturais relacionadas ao Street Art (Arte Urbana), movimento artístico underground, que foi aos poucos se construindo como forma de fazer artístico, envolvendo várias modalidades de grafismos.

O Street Art abrange as mais diversas formas de manifestações além do grafite, como é o caso das estátuas vivas, dos músicos, malabaristas, palhaços e teatros. Em Paris, fora do circuito tradicional, esse tipo de trabalho artístico, tem se consolidado cada vez mais. A região de Belleville, por exemplo, é considerada o berço da arte urbana parisiense. Para Drika, todas essas influências na capital francesa acabaram estando totalmente relacionadas com seus objetivos profissionais. “Meu objetivo é continuar viajando para compartilhar minhas pinturas e intervenções” conta a artista.

Drika releva que ainda na sua segunda semana na residência, teve a oportunidade de acompanhar um Colloque sur l’état de L'Art Urbain, OxymoresIII (Simpósio de Arte Urbana em Paris), onde pôde ouvir e compartilhar sobre experiências e vivências com milhares de artistas, grafiteiros,  diretores, professores, advogados, que juntos discutiam sobre a importância da Arte Urbana na sociedade.

A artista, que teve seu projeto selecionado no edital realizado pelo Institut Français, para uma residência artística de três meses na Cité Internationale des Arts conta que no mês de novembro realizará intervenções artísticas nas cidades periféricas de Paris: Gentilly e Vitry-sur-Seine, onde somará mais uma experiência ao seu projeto de experimentação artística e cultural. Drika acredita que esse convívio com outras culturas é que pode abrir novas percepções e trocas, enriquecendo o seu trabalho.