Myriam Mugica encerra gestão em Belém - Aliança Francesa de Belém

Myriam Mugica encerra gestão em Belém

2016 foi um ano de crescimento, eventos culturais e atividades pedagógicas variadas na Aliança Francesa de Belém. Para a diretora Myriam Mugica, também será o ano que marca o final da sua gestão que começou em 2012.

 

Durante a gestão da diretora, mais de 120 eventos culturais foram realizados na capital paraense. Em quatro anos, os belenenses tiveram contato com a cultura francesa em programações diversificadas que permeavam a gastronomia, fotografia, musica, teatro, cinema, literatura, conferências com filósofos, desenhistas, jornalistas, sociólogos, chargistas, escritores e artistas franceses com a ajuda de diversas parcerias públicas e privadas no Estado do Pará.

Trocas culturais intensas e ricas são o resultado das programações promovidas pela Aliança Francesa. Assim, naturalmente, os eventos realizados, não se prendem apenas à cidade de Belém, mas muitas vezes rendem frutos de reciprocidade entre os artistas locais e franceses. Dentre estas parcerias, destacam-se a conexão estabelecida entre o fotógrafo Bruno Pellerin e o artista plástico Paulo Azevedo: o paraense convidou o francês para uma exposição conjunta em seu ateliê em 2015, intitulada “Águas de Março”. Posteriormente, foi Pellerin que convidou Azevedo para mostrar seu trabalho em Paris, na exposição coletiva “Art sans Frontières”, também no ano de 2015.

Além do cartunista Biratan, que em uma parceria que nasceu na Feira Pan-Amazônica do Livro, com o chargista martiniquense François Gabourg, foi convidado para Martinica para participar do Salon du Livre no ano seguinte.

Com a artista paraense Drika Chagas, que já expôs seu trabalho e realizou residências e oficinas na Guiana Francesa graças à parceria com a Aliança Francesa, o grafite não ficou de fora. Neste ano, Drika se prepara para uma nova etapa de crescimento profissional: em outubro, a paraense iniciará sua residência artística de três meses na Cité Internationale des Arts de Paris, uma das instituições de grande referência das artes plásticas.

Outra paraense que viu os frutos de sua parceria com a Aliança Francesa foi a artista visual Roberta Carvalho. Com o projeto “Symbiosis”, que projeta figuras humanas sobre a copa de árvores e cria imagens impressionantes, Roberta foi indicada pela instituição para representar Belém em um concurso mundial de grafismo. A artista plástica foi selecionada entre vários artistas no mundo inteiro para participar da exposição internacional “Ailleurs. Les Alliances françaises s’affichent.” na Cité Internationale des Arts de Paris, como parte da programação da Fête du Graphisme 2015.

Myriam Mugica também ressalta os diversos prêmios recebidos por artistas paraenses nestes últimos anos: “Já tivemos dois cantores locais que ganharam o 1º lugar no concurso do Festival da Canção Francesa, uma competição nacional de músicas em francês que premia com uma viagem de uma semana para Paris com todas as despesas pagas: Gigi Furtado, em 2013, e Carlos Dias Junior, em 2015. Além disso, em 2014 o jovem fotógrafo Adan Costa ficou entre os melhores do mundo com suas fotografias no Concurso Internacional promovido pela Fundação Alliance Française de Paris”, lembra.

Além dos eventos culturais, outro legado está sendo deixado na cidade: com o crescimento na busca pelo aprendizado da língua francesa na capital paraense, a Aliança Francesa de Belém alcançou a 3º colocação com o maior número de novos alunos do Brasil, atrás apenas das Alianças Francesas do Rio de Janeiro e de São Paulo. A instituição também foi a primeira a promover um Concurso de Bolsas com o objetivo de ampliar as possibilidades para os amantes da cultura francesa. A iniciativa foi posteriormente adotada por diversas Alianças Francesas do Brasil.

Para a diretora Myriam Mugica, o interesse na língua e cultura francesa é uma característica dos paraenses por motivos profissionais, acadêmicos ou pelo amor pelo idioma. Com o compromisso de alto nível de ensino, uma coordenação pedagógica experimentada foi recrutada na França para atuar ao lado dela, na Aliança Francesa de Belém.

A diretora frisa alguns dos motivos que levam à preferência dos alunos pela escola: “Estamos sempre em busca da excelência pedagógica mediante a melhor qualificação dos nossos professores, que participam de formações profissionais no Brasil e também na França, mas, sobretudo, temos uma das escolas mais aconchegantes da cidade. Além da qualidade do ensino e reconhecimento internacional, as pessoas se sentem em casa aqui e é isso que faz com que elas voltem sempre”, explica.

Em 48 meses de intenso trabalho, diversas parcerias com universidades e instituições paraenses foram firmadas, eventos culturais foram promovidos na cidade e a maior qualidade de ensino foi oferecida para os paraenses e amigos da França visando sempre a grande missão da Aliança Francesa: fomentar a língua francesa e disseminar as culturas francófonas. Marcada pelo respeito mútuo, a integridade e o trabalho árduo, a direção de Myriam Mugica será lembrada por todos pelo legado positivo e o compromisso característico de sua gestão.